Arquivo da tag: Texto

La Solitudine

Então eu vi. E os meus próprios olhos entenderam a dor, compreenderam aí o tamanho da vida. Nada mais havia ali, só o escuro da noite, o silêncio da lua, o movimento do vento na copa das árvores e eu. Eu que ainda respirava o aroma do jasmim. Percebi: Eu ainda vivo. Tudo vive. E mais que isso, tudo vive em mim, ainda que eu estivesse SÓ.

Escrito em 14/05/2010, numa noite fria.
Por Priscila Chaves
Anúncios

121 anos de República

Hoje, comemora-se a Proclamação da República do Brasil que ocorreu em 15 de novembro de 1889, após a abolição da escravatura.

O Hino da Proclamação da República, conforme mencionado pelo site Brasil escola, é pouco usado no país. Esse hino foi criado a partir de um concurso promovido pelo governo provisório de Marechal Teodoro da Fonseca com o intuito de instituir um novo símbolo para o país republicano.

Os ganhadores do concurso quanto à letra e a música, respectivamente, foram: José Joaquim de Campos da Costa de Medeiros e Albuquerque e Leopoldo Miguez.

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!

Esse trecho do hino foi muito divulgado e conhecido quando a escola de samba Imperatriz Leopoldinense, em 1989, festejou o centenário da Proclamação da República em seu samba enredo.

A versão em samba é muito diferente da forma cantada oficialmente. Quem tiver interesse em ouví-la, disponibilizamos o link direto ao site da Letras.terra.com.br.

Desejamos que a liberdade continue nos protejendo, principalmente após essa última eleição. Que sejamos um Brasil livre, sem amarras com outros países, que o interesse político seja para o povo e que esse povo, aprenda a lutar pelo o que é dele de direito.

 


Clube da Luluzinha

Toda garota pertence ou já pertenceu a um Clube da Luluzinha. Na escola, faculdade, na família, na vizinhança, no ballet, no time de vôlei,…  Às vezes acho que nunca deixamos de pertencer a um. Não tem jeito de passar pela infância ou adolescência sem ter o próprio grupo de super amigas. Além de natural, adoramos companhia, ter alguém com quem dividir nossas alegrias e preocupações, mas estamos sempre rindo muito, o que é o mais importante.

Não é a toa que os garotos reclamam sobre irmos ao banheiro sempre acompanhadas, por exemplo.  Eles nunca irão entender nosso mundo. Nem se tentarem, chegarão perto de descobrir o imenso mundo em que vivemos.  Ás vezes complexo, ás vezes simples, mágico ou difícil. Só sei de uma coisa, ADORO ser menina. Ser doce, amável ao mesmo tempo poder ser forte e decidida.

Tome nota:

Neste ano, comemora-se o 75º aniversário da Luluzinha, a menina do desenho criado, em 1935, pela desenhista americana Marjorie Henderson Buell.

Para os garotos não se sentirem rejeitados nesse papo de meninas, Recruta Zero que é do Clube do Bolinha também faz aniversário neste ano. Ele comemora seu 60º aniversário.


Anúncio

Precisa-se

Precisa-se de um ombro para acolher minhas lágrimas e de braços fortes para esmagar meus sofrimentos.

Precisa-se de lábios para beijarem minha testa e mandarem que eu levante a cabeça e olhe para o horizonte.

De olhos que mirem os meus e digam que tenho defeitos, mas tenho muito mais qualidades e que posso melhorá-las.

Precisa-se de mãos firmes para segurarem as minhas mãos frágeis para que eu sinta que tem alguém do meu lado sempre, mesmo se estiver longe.

Precisa-se de um amigo que apenas assim o seja.

De alguém que queira escutar meu coração, só escutar. Não precisa entender nem argumentar, só respeitar.

Precisa-se de um pássaro que me ensine a voar para descobrir o real gosto do que é liberdade. Porque o chão me prende e faz arrastar meus pés pesados para onde quer que eu vá.

Precisa-se que alguém ensine a despertar um coração duro. Ele quer bater, não sabe como. Só sabe que o mundo tem vida e quer deixar as portas abertas para ela entrar.

Por Priscila Chaves

Amizade e vida – frase do dia

Todos te buscam e só alguns te acham. Alguns te acham e te perdem. Outros te acham e não te reconhecem e há os que se perdem por te achar.

Essa frase é um trecho do poema de Ferreira Gullar intitulado A vida bateQuando o li, fiquei pensando em como nossa vida é e como as pessoas passam por nossa vida.

Quantas vezes esbarramos com pessoas que dizemos amigos e de repente nos distanciamos. Outros nem tínhamos tanto contato e depois descobrimos que existe um carinho especial. A vida é um mistério e é só vivendo para descobrirmos o nosso próximo presente. Bem, só tenho que agradecer por todos que já passaram pela minha vida e que deixaram lembranças, e agradecer também por todos aqueles que acreditam em mim e continuam a nossa amizade.

Boa semana a todos.


%d blogueiros gostam disto: